ARTIGO: Um novo marco para os incentivos fiscais

Em artigo publicado no jornal Diário da Manhã, de Goiás, o vice-presidente da CNI, Paulo Afonso Ferreira, considera como uma grande vitória a aprovação no Senado e na Câmara dos Deputados um Projeto de Lei que convalidará os incentivos, benefícios e isenções oferecidas pelos estados ao longo dos anos

By Gestiona - 19 fev. 2018

Em virtude da concessão dos incentivos fiscais, várias empresas passaram a desenvolver atividades econômicas em estados menos industrializados, investindo recursos para viabilizar suas instalações e operações. Isso fomentou a geração de empregos diretos e indiretos e movimentou a economia, mudando a realidade de milhões de pessoas pelo Brasil.

Programas de incentivos à produção existem em todo mundo e em Goiás não poderia ser diferente.Goiás evoluiu muito ao longo dos anos, com a diversificação e modernização de seu parque industrial, apresentando crescimento de sua economia, com taxas acima da média nacional, aumento na produção, na geração de emprego, nas exportações e na arrecadação.

Grande parte destes resultados foram obtidos por meio das políticas de incentivo fiscais, que têm sido adotadas no Estado há muitos anos, que proporcionaram atração de investimentos, e competitividade dos produtos goianos. Cada governo deu a sua contribuição em seu tempo, atuando em sintonia com as entidades do Fórum Empresarial e dos trabalhadores.

Mesmo diante da retrospectiva de desenvolvimento e de ganhos para a sociedade, os incentivos fiscais eram questionados no judiciário por alguns Estados que não os aceitavam, o que causava insegurança jurídica nas empresas.

Na Confederação Nacional da Indústria (CNI) a proposta foi amplamente discutida com parlamentares, presidentes e federações e associações setoriais, sendo acatada a vontade da maioria em apoiá-la, o que fez constar como um dos projetos prioritários na Agenda Legislativa da Indústria.

Uma grande vitória e um fato histórico ocorreram, sendo aprovado no Senado e na Câmara dos Deputados um Projeto de Lei que convalidará os incentivos, benefícios e isenções oferecidas pelos estados ao longo dos anos, também os prorrogará por até 15 anos, o que possibilitará às empresas se adequarem para essa transição. Afastará o risco de questionamentos judiciais futuros, assim como anulação dos acordos firmados entre o setor privado e os governos estaduais e a geração de um passivo tributário não previsto pelas empresas, o que poderia inviabilizar negócios e fechar vários postos de trabalho. Essa mudança dará mais segurança jurídica às nossas empresas, estimulará investimentos e a geração de mais empregos.

Quero parabenizar todos os parlamentares de Goiás que tiveram sensibilidade e atuaram em favor da aprovação do PL e peço licença, pois não poderia deixar de destacar o empenho do governador Marconi Perillo na aglutinação de esforços, na liderança e mobilização. Esse momento foi marcante, pois demonstrou a forca da união, do dialogo e da determinação, de que mesmo com diferenças partidárias, o interesse de Goiás e do desenvolvimento coletivo predominou. Assim devem ser nossas ações, sem ideologias e partidarismos. Que continuemos com esta postura de atuar em prol do desenvolvimento de Goiás e do Brasil, buscando realizar reformas imprescindíveis para o desenvolvimento.

Paulo Afonso Ferreira é vice-presidente da CNI e presidente do Conselho de Assuntos Legislativos da CNI.

Fonte: Jornal Diário da Manhã. 

Posts relacionados